Home   Notícias e Eventos

13/07/2019

Para inibir o descarte incorreto, Daep instala novas placas de proibição

Para inibir o descarte incorreto, Daep instala novas placas de proibição

Placas alertam para a proibição do descarte ilegal que polui o meio ambiente e prejudicam a saúde dos moradores

Como uma forma de alertar para proibição do descarte ilegal de resíduos, o Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis) instalou placas de sinalização em diversos pontos onde há o depósito irregular de lixo. A placa ainda alerta sobre a incidência de multa aos infratores, conforme lei municipal.
Segundo o presidente do Daep, Edson Bilche Girotto, o Batata, as placas têm o objetivo de combater esse hábito e dar continuidade na campanha de conscientização ambiental. “Queremos que a população tenha consciência que esse descarte ilegal só traz prejuízos à cidade, ao meio ambiente e a sua própria saúde”, alertou.
Ao longo dos anos, o Daep identificou vários pontos considerados viciados em que a população descarta materiais, entre lixo orgânico, resíduos de construção civil, podas de árvores. Os resíduos causam inúmeros transtornos nas vias públicas, geram criadouros de insetos e animais peçonhentos e agridem o meio ambiente. 
“Grande parte desses resíduos descartados irregularmente poderia ser depositada nos seis ecopontos espalhados pela cidade. Além disso, Penápolis oferece coleta de lixo domiciliar, coleta seletiva, coleta de resíduos de serviços de saúde e de animais mortos. Pedimos que a população tenha consciência, respeite o meio ambiente e colabore com a limpeza urbana”, enfatizou o presidente do Daep.
A Lei 2211/17 e o Decreto 5890/18 disciplinam as infrações para quem desrespeita o Plano Municipal de Gestão de Resíduos Sólidos. A população deve ficar atenta pois estão sujeitos a multa quem descartar resíduos sólidos em locais não autorizados, como áreas verdes, praças, terrenos, entre outros. Quem lançar lixo em córregos, rios, poços e galerias também está sujeito a penalidades. A queima de lixo também está proibida.

Secom – PMP

« Voltar ao índice de notícias
Veja também: