Ir direto para o conteúdo Ir para a página principal Ir para o conteúdo Buscar no portal Ir para o mapa do site
0800 0170 195
A+
A
A-
Home   Notícias e Eventos

30/12/2020

Positivo: Daep fecha o ano com saldo de R$ 4,5 milhões em caixa

Positivo: Daep fecha o ano com saldo de R$ 4,5 milhões em caixa

Reservatório Novo de 1.600 m3

O Daep (Departamento Autônomo de Água e Esgoto de Penápolis) encerra o ano de 2020 com superávit. O saldo financeiro é de mais de R$ 4,5 milhões em caixa. Segundo comentou o prefeito de Penápolis, Célio de Oliveira, o quadro se deve à gestão competente da direção e funcionários do departamento.
O prefeito destacou que ao longo dos últimos oito anos, um planejamento específico de ações administrativas vem sendo cumprido à risca para alcançar esse resultado. 
“Isso proporcionou a recuperação financeira completa da autarquia, inclusive fazendo caixa para importantes investimentos necessários para os próximos anos”, garantiu Célio. 
“Existem muitas obras e melhorias a serem executadas continuamente para garantir qualidade no serviço prestado à população. Investimento é fundamental na área do saneamento”, comentou. 
Ele ainda lembrou que o superávit financeiro ocorreu devido ao saldo acumulado positivamente em anos anteriores.
“Nos últimos anos foram realizados investimentos muito significativos nos processos de água, esgoto e resíduos sólidos, e também dos processos internos”, disse. Entre esses investimentos, o prefeito citou a construção de dois novos reservatórios de água nos bairros Jardim do Lago e Pereirinha. Ambos aumentaram em 20% a capacidade de reservação de água tratada da cidade.

Mais Ações
Também citou a troca de motores na estação de captação de água, aumentando o rendimento e diminuindo o gasto com energia elétrica; instalação de macromedidores para controle e combate de perdas de água; automação dos sistemas de captação e reservação; aquisição de máquinas pesadas (retroescavadeiras, trator esteira, caminhões basculantes e compactadores de lixo); construção de novos emissários de esgotos e adutora de água.
Ainda na relação de obras e processos importantes para o saneamento básico de Penápolis estão a reforma da estação de recalque de esgotos do Jardim Pevi; desassoreamento das lagoas de tratamento de esgoto (em andamento); construção de mais três ecopontos (bairros Cidade Jardim, Santa Terezinha e Sílvia Covas); construção de um novo barracão na Corpe (Cooperativa dos Recicladores de Penápolis).
Entre as melhorias na gestão de serviços está também a implantação do projeto piloto de coleta de lixo por containers; Projeto Compostar é Bem-Estar; Projeto Varrição Compartilhada; Projeto Carroceiro Cidadão; Projeto Meta 180; elaboração do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos; revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico; criação do Programa de Pagamento de Serviços Ambientais em parceria com o Consórcio Intermunicipal Ribeirão Lajeado; acreditação de ensaios do Laboratório de Ensaios com a NBR 17.025:2017; e a continuidade da certificação da NBR ISO 9001:2015.

Déficit anterior e lixo acumulado
“No início de 2013, o Daep apresentava um déficit no valor de R$ 617.186,42, com despesas empenhadas em 2012 e não pagas, diversas contas como energia elétrica, telefone, fornecedores em geral com atraso no pagamento. Era uma situação precária e sem condições de investimento nenhum”, relembrou Célio de Oliveira.
“Ainda havia o acúmulo de material reciclável em toda área externa da Corpe. Em janeiro de 2013 fomos chamados pelo Promotor Público do Meio Ambiente para resolver o problema. Providenciamos a retirada de mais de 1.000 toneladas de materiais. Na época a Corpe estava com somente 16 pessoas trabalhando, em situação totalmente precária”, recordou o prefeito.
“Atualmente, a Corpe conta com 40 cooperados e teve a renda mensal registrada em R$ 2.400,00 no mês de novembro de 2020. Ou seja, mais do que o salário mínino”, comemorou.

Pandemia e inadimplência
Durante o ano de 2020, uma preocupação do Daep foi o aumento do índice de inadimplência devido à pandemia ocasionada pelo coronavírus. Por isso, houve um monitoramento rigoroso das receitas e despesas. 
Mensalmente foram feitas análises financeiras, incluindo o acompanhamento da inadimplência, que teve um aumento: em fevereiro era de 11,65%, subindo para 32,09% (média dos últimos cinco meses - julho a novembro). 
Desde o mês de abril deste ano, por conta da pandemia, foi suspensa a interrupção no fornecimento de água por atraso do pagamento.
O Daep também registrou um aumento no consumo de água dos imóveis. Em novembro, por exemplo, foi registrado um aumento de 12,04% no consumo, se comparado com o mesmo período do ano passado. O fato ocorreu pois as pessoas ficaram mais em casa, por mais tempo, e devido às altas temperaturas registradas nos últimos meses. O fato ocorreu também com a quantidade de resíduos domésticos, que aumentou em cerca de 13% durante a pandemia.

Projetos futuros
Neste ano o Daep finalizou a revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico. Dentre as ações previstas pelo plano está o atendimento da demanda futura de abastecimento de água para a população urbana, com projeção do crescimento vegetativo. Neste sentido, foi contratada uma empresa de prestação de serviço especializado, que fez um diagnóstico da atual Estação de Tratamento de Água bem como apontamentos de melhorias necessárias para ampliação da sua capacidade produtiva. 
Os recursos financeiros do superávit da autarquia poderão ser aplicados na melhoria da Estação de Tratamento de Água. Estima-se um custo aproximado de R$5 milhões para contratação de projetos executivos, reforma e ampliação de sua capacidade produtiva.
Dentre as melhorias, está prevista a construção de novos filtros, novas câmaras de floculação, adequações dos decantadores, adequações dos filtros existentes e adequações nos sistemas de automação, elétrico e de tratamento de resíduos gerados pela estação de tratamento de água. 
Outro investimento previsto é a continuidade do desassoreamento das Estações de Tratamento de Esgotos, que já tiveram 40% do lodo removido.
Com isso, o município de Penápolis poderá contar com uma segurança hídrica adequada para os próximos 20 anos e o atendimento das normas ambientais.

Desafio
Na opinião do presidente do Daep, Edson Bilche Girotto, o Batata, administrar a autarquia é mais que um desafio.
“Administrar o Daep é estar à frente de órgão de saneamento considerado modelo nacional. Isso nos traz muito orgulho. Buscamos sempre tomar as decisões com muita responsabilidade, já que de nós partem ações que impactam diretamente na vida da população”, refletiu. 
“Por isso consideramos de grande importância a proximidade com os servidores, e principalmente da população, de quem ouvimos as necessidades, proporcionando a tomada de decisões acertadas”, disse.
Batata lembrou que a direção sempre contou com o apoio do Conselho Gestor de Saneamento. Este tem atuação efetiva por meio da análise e aprovação de pautas importantes na política pública do setor local. O conselho possui representantes da comunidade, que são eleitos no Fórum de Saneamento e Meio Ambiente.

Secom – PMP

Outras fotos:

« Voltar ao índice de notícias
Veja também: