Home   Serviços

Água

 A água é captada de fonte superficial, o Ribeirão Lajeado, único manancial de abastecimento de água do município de Penápolis através de um sistema de bombeamento, que leva a água bruta até a ETA - Estação de Tratamento de Água por meio do DAEP.

 

Vista geral da captação de água

A água recebe um tratamento pelo sistema convencional, com o processo de purificação com as seguintes etapas: Coagulação (Agente Coagulante: Policloreto de Alumínio), Floculação, Decantação por gravidade e Filtração. Para a desinfecção utiliza-se o Cloro e na proteção contra cáries, o Flúor.
 

Vista geral dos decantadores da ETA

Como medida preventiva para evitar a falta de água nos imóveis do município de Penápolis, o DAEP, ao longo de sua existência, vem investindo em reservação de água. Hoje, o DAEP possui uma capacidade de reservação de 16.250m³ de água tratada que é distribuída para a cidade da seguinte forma:

  • 02 reservatórios enterrados (3.500m³ cada);
  • 04 reservatórios elevados (2 de 1.200m³ cada, 1 de 600m³ e 1 de 450m³);
  • 01 reservatório apoiado (550m³);
  • 04 reservatórios semi-enterrados (2 de 1.000m³ cada, 1 de 3.000m³ e 1 de 250m).
     

http://www.daep.com.br/adm/fotos/imagem_369.jpg

Reservatórios da Tóquio

 

Reservatórios do Jardim Eldorado

Esgoto

O DAEP conta com dois complexos de Lagoas de Estabilização de esgoto, que têm capacidade de tratar 350 litros/segundo, com o objetivo de eliminar o lançamento de dejetos de esgoto no Ribeirão Lajeado, tornando o manancial menos poluído.O processo de estabilização leva aproximadamente 45 dias para completar o ciclo.

Assim sendo, Penápolis possui 100% de esgoto coletado e tratado, tornando-se uma cidade de primeiro mundo. O sistema de tratamento do esgoto do município é do tipo australiano, composto por uma lagoa anaeróbia, seguida de uma lagoa facultativa e uma lagoa aeróbia (conhecida também como maturação).

 


O tratamento preliminar visa remover sólidos grosseiros, é feito através de grades e caixa de areia, ambas de limpeza manual. Em seguida, o esgoto chega até a primeira lagoa anaeróbia, onde o oxigênio dissolvido está ausente no processo. Nela ocorrem, simultaneamente, os processos de sedimentação e digestão anaeróbia. No fundo permanece um depósito de lodo e na superfície formam-se bolhas de gás resultantes da fermentação do mesmo.


Normalmente sob temperatura em torno de 20º C e com tempo de detenção de 4 a 5 dias, obtém-se abatimento de 40% a 60% da matéria orgânica introduzida na lagoa. Após este período, o esgoto passa para a lagoa facultativa, onde as cargas contaminantes de esgoto são degradadas por bactérias aeróbias e anaeróbias. O oxigênio necessário para a respiração das bactérias aeróbias é fornecido pelo ar atmosférico e principalmente pela atividade fotossintética das algas. Nesta lagoa, uma parte da degradação bacteriana ainda ocorre na ausência de oxigênio, principalmente devido à ausência de luz solar durante o período noturno e ao acúmulo de matéria orgânica no fundo da lagoa, formando camadas de lodo ao longo do tempo.


Em seguida o esgoto é liberado para a lagoa aeróbia ou de maturação, onde há grande quantidade de oxigênio oriundo da atividade fotossintética das algas. Na sequência, o esgoto, já tratado, é devolvido ao Ribeirão Lajeado. O tratamento por lagoa do tipo australiano, tem por finalidade o abatimento da carga orgânica, de sólidos e de carga bacteriana, visando a diluir adequadamente os esgotos no corpo receptor para a preservação ambiental de acordo com a legislação vigente, eficientemente comprovada pela CETESB em aproximadamente 90% de abatimento dos esgotos.

Resíduos Sólidos

O serviço de resíduos sólidos é de responsabilidade do DAEP, desde 1993, contando com uma frota de caminhões compactadores, basculantes, poliguindastes e caminhonetes para a coleta de diversos tipos de resíduos sólidos gerados no município. O DAEP está presente, diariamente, na vida dos cidadãos penapolenses garantindo qualidade de vida a todos. Entre os tipos de resíduos coletados diariamente estão:

  • lixo orgânico;
  • varrição;
  • resíduos de serviços de saúde;
  • animais mortos;
  • coleta seletiva;
  • resíduos industriais classe II-B;
  • pneus insersíveis;
  • resíduos dos Ecopontos.

Possui uma Central de Tratamento de Resíduos, complexo onde se encontram as Lagoas de Tratamento de Esgoto, Aterro Sanitário, Aterro de Inertes, Unidade de Tratamento de Resíduos de Serviços de Saúde, destinação de animais mortos e CORPE, com adequação de portaria. Possui também 5 unidades de Ecopontos, que são unidades para destinação de resíduos de entulhos de pequeno volume, podas de árvores e materiais recicláveis.

Entrada da Central de Tratamento de Resíduos

Visando ter o controle efetivo dos resíduos sólidos gerados no município foi implantado um sistema de balança informatizada de pesagem do material que é feito através de uma balança rodoviária. Todos os veículos que transportam os resíduos são pesados e discriminados a cada entrada e saída da Central de Tratamento de Resíduos.
 


Balança

Todos os meses o serviço de Apropriação, Controle e Custos do DAEP faz um levantamento do volume de resíduos, sejam eles rejeitos industriais, lixo de varrição, entulho ou material reciclável através de um processo informatizado para o planejamento que visa a melhora dos serviços prestados.
 


Coleta de Animais mortos

Este serviço é realizado continuamente, onde qualquer cidadão que souber de animais mortos (pequeno porte) na cidade pode ligar gratuitamente para o Serviço de Atendimento ao Cliente do DAEP através do telefone 0800-170195 (ligação gratuita a partir de qualquer telefone fixo da cidade de Penápolis). É necessário informar o endereço onde está o animal que o DAEP irá recolher e, sem prejudicar o meio ambiente e seguindo normas estaduais, evita o comprometimento do solo e do lençol freático com qualquer tipo de contaminação, com a destinação correta em valas sépticas.


Área de inertes

Em área anexa ao aterro sanitário encontra-se o aterro para entulhos, onde são depositados inertes de material de construção e outros materiais inservíveis para a população.


Vista geral do aterro de entulhos

 

Ano Nota Avaliação
2010 9,70 A nota máxima não foi atingida, devido a não obrigatoriedade de manta de impermeabilização em 1994, quando da concepção do projeto aprovado pela CETESB, cuja exigência da manta passou a ser feita posteriormente.
2011 8,70

A nota máxima não foi atingida, devido a não obrigatoriedade de manta de impermeabilização em 1994, quando da concepção do projeto aprovado pela CETESB, cuja exigência da manta passou a ser feita posteriormente. E área de trabalho de aterramento do lixo, estava excessiva devido ao período chuvoso e quebra da maquina de esteira apropriada, que opera no local com problemas.

2012 9,69 A nota máxima não foi atingida, devido a não obrigatoriedade de manta de impermeabilização em 1994, quando da concepção do projeto aprovado pela CETESB cuja exigência da manta passou a ser feita posteriormente.
2013 9,00

Alteração dos critérios de avaliação exigidos pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Nomeação de encarregado para monitorar a operação juntamente com a Assessoria Técnica.

2014 6,70

Alteração dos critérios de avaliação exigidos pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e aplicação de penalidade devido a disposição inadequada de animais mortos, apontada pela CETESB e novas exigências técnicas de operação para adequação do mesmo, sendo apresentado um plano de ação de adequação, embora as análises dos poços de monitoramento garantam que não há comprometimento do lençol freático.


Máquina fazendo a disposição final do lixo doméstico

 

Pneus - Destinação correta de pneus inservíveis

Desde 2008, o Daep armazena adequadamente os pneus insersíveis em baracão de 1500m², construído com recursos em parceria com o Fehidro-SP, para encaminhamento à reciclagem, a fim de contribuir com a preservação do meio ambiente, evitando o descarte feito pela população de modo irregular. Os pneus constituem um dos resíduos urbanos que mais preocupam a sociedade e, por isso, são os responsáveis pela criação de leis para a minimização dos impactos negativos que geram.

A Política Nacional de Meio Ambiente, em seu artigo 94, Subseção X – dos Pneumáticos, bem como o Conselho Nacional de Meio Ambiente, CONAMA, no artigo 2º da Resolução 258/99, consideram como pneu ou pneumático inservível: “... aquele que não mais se presta a processo de reforma que permita condição de rodagem adicional...”. A Resolução obriga as empresas fabricantes e as importadoras de pneumáticos a coletar e a dar destinação final, ambientalmente adequada, aos pneus inservíveis existentes no território nacional, estabelecendo uma proporção de coleta relativa às quantidades fabricadas e (ou) importadas (artigo 1º). Ficam proibidos, a partir da data de publicação da Resolução, 2 de dezembro de 1999, o descarte de pneus inservíveis em aterros sanitários, rios, lagos, terrenos baldios e no mar, como também a queima a céu aberto. A Resolução estabelece, por fim, que o não cumprimento do disposto implicará as sanções estabelecidas na Lei de Crimes Ambientais. Com isso, normalmente, os fabricantes e importadores estão conduzindo os pneus inservíveis à pirólise e ao co-processamento, que são formas de reciclagem.

A parceria com a Reciclanip (Empresa composta pela junção dos fabricantes de pneus) facilita a efetividade da Logística Reversa, pois, assim como as empresas colocaram os pneus em circulação no meio ambiente, elas têm a função de retirá-los de maneira adequada. Sendo assim, a Reciclanipe retira os pneus armazenados e transforma-os em solado de sapatos, massa asfáltica e carpetes para carros e ônibus.

 


Retirada do pneus

 

Resíduos de Serviços de Saúde

Os resíduos de serviços de saúde são provenientes de farmácias, laboratórios, consultórios médicos e odontológicos, hospitais e centros de saúde e são recolhidos por um veículo apropriado, com funcionários devidamente uniformizados, credenciados e treinados e seguem todos os critérios de segurança.

Os resíduos de serviço de saúde são esterilizados através do processo de autoclavagem a vapor e, depois de se tornarem inertes, são triturados e recebem a destinação correta, sendo depositados no aterro sanitário.
 

Autoclave

Coleta dos Resíduos Orgânicos

DIAS DE COLETAS DE LIXOS:

Colabore embalando corretamente seu lixo em sacos plásticos, que não devem ser cheios completamente. Embale vidros ou outros materiais cortantes com jornal, papel ou outra embalagem para que não ofereçam riscos aos coletores. Observe o horário de coleta em seu bairro e coloque seu lixo para fora, sempre que possível meia hora antes.
 

BAIRROS DO SETOR 1

Centro- Av. Rui Barbosa - da Rua Fernando Ribeiro de Barros até a Rua Giácomo Paro - da Av. Rui Barbosa até Rua Antonio Define - da Rua Fernando Ribeiro de Barros até Av. Irmãos Chrisóstomo de Oliveira e Av. Adolfo Hecht - da Rua Amazonas até a Giácomo Paro.

Frequência: Diário - Segunda a Sexta a partir das 16h e no Sábado a partir das 14h

BAIRROS DO SETOR 2

Bairro Jardim, Jardim São Paulo, Residencial Galinari, J. Santo Antônio, Tatiane Karen, Jardim Primavera e Centro (da Rua Antônio Define a Av. Santa Casa e da Rua Fernando Ribeiro de Barros a Av. Irmãos Chrisóstomo de Oliveira).

Frequência: TERÇA - QUINTA E SÁBADO a partir das 16h

BAIRROS DO SETOR 3

Village, Pq. Residencial Palmares, Pq. Residencial Gargione, Jd. Residencial Alto das Brisas, Portal dos Faveiros, Residencial Isabela Caroline, Chácara do Portal, Village Regina, Miguel Barbeiro, Jardim Del Rey, Residencial Ana Paula e Regina Célia.

Frequência: TERÇA - QUINTA - SÁBADO a partir das 7h

BAIRROS DO SETOR 4

Cidade Jardim, Residencial Flávia e Jardim do Lago I, II, III e IV e Jd. do Lago V.

Frequência: SEGUNDA - QUARTA - SEXTA a partir das 7h

BAIRROS DO SETOR 5

Residencial São Francisco, Jad. Alphaville, Jd. Panorama, Vila Santo Antônio, Vila Independência, Vila Fátima, Chácara Santa Terezinha, Vila América, Jd. São Francisco, Vila Anselmo, Jd. São Luiz, Rua José Pinto de Almeida (da Expedicionário Diogo Garcia Martins até a entrada do cemitério novo), Av. Rui Barbosa (da Giácomo Paro até a Rua José Pinto de Almeida) e Av. Adolfo Hecht até a Av. José Pinto de Almeida.

Frequência: SEGUNDA - QUARTA - SEXTA  a partir das 7h

BAIRROS DO SETOR 6

Vila Peres, Vila das Fábricas, Vila Aparecida, Vila Matheus, Jd. Planalto (da Av. Eduardo de Castilho até o limite da Av. Santa Casa) e Centro (da Rua Irmãos Chrisóstomo de Oliveira até a Av. José Pinto de Almeida e da Rui Barbosa até a Av. Santa Casa).

Frequência: SEGUNDA - QUARTA - SEXTA a partir das 16h

BAIRROS SETOR 7

Vila Martins, Jd. Primavera, Vila São Vicente, Pq. Residencial Oliveira, Vila Gardim, Vila Paulista, Vila Formosa, Pq. Res. São Fernando, Pq. Res. Monreal, Lot. Pelmo Cogliari, Jd. Guanabara, Jd. Santa Terezinha, Jd. Fênix e Cond. Residencial Altimari.

Frequência: TERÇA - QUINTA - SÁBADO a partir das 7h

BAIRROS SETOR 8

Jd. Pevi II, Jd. Tinô, Jd. Pevi, Res. Rosa Alberton, Jd. Planalto (da Av. Santa Casa até a Av. Liberdade), Jd. Ipiranga, Res. Florença, Jd. Boa Vista Vila Edejama, Vila Altimari, Vila Rocha, Vila Santos, Jd. Paula Pereira, Jd. Shangrilá, Res. Gimenes e Jd. Pevi II.

Frequência: TERÇA - QUINTA - SÁBADO  a partir das 7h

BAIRROS DO SETOR 9

Sistema de Lazer, Res. Atlântida, Jd. Tropical, Res. Colina Verde, Pq. dos Girassóis, Portal dos Flamboyans, Residencial Pereirinha, Pq. Haroldo Camilo, Residencial Jardim dos Sonhos, Cipreste Ville, Jd. Esplanada, Conjunto Habitacional Sílvia Covas, Gualter Monteiro, Antônio Ferreira e Osvaldo Vizone.

BAIRROS DO SETOR 10

Jd. Morada do Sol, Pq. Industrial, Vila Ariovaldo, Res. Dois Irmãos, Jd. Morumbi, Pq. Res. Santa Leonor, João de Barro, Jd. Paraíso, Eldorado, Jd. Bela Vista, Nossa Caixa II e Res. Garden Vilage.

Frequência: SEGUNDA - QUARTA - SEXTA a partir das 7h

BAIRROS DO SETOR 11

Bairro Premier, Jd. Canadá, Jd. Tókio, Jd. Aeroporto, Vila Popular, Jd. Brasília, Distrito Industrial, Cecap, Chácara de Recreio Mirage, Bairro Industrial, Jd. Por do Sol, Vila São Joaquim, Jd. Alvorada, Parque Res. Dr. Mário Sabino, Jd. Dona  Ercília, Jd. Santa Cecília, Res. Garden Village e Res. Fernanda.

Frequência: SEGUNDA - QUARTA - SEXTA  a partir das 7h

 

Mais informações:
SAC (018) 3654-6100 - 3654-6104 - 3654-6105 - 0800 17 0195

Ecopontos

Os ecopontos são locais que auxiliam o DAEP e a população a manter o município com aspecto mais agradável e dar destino final adequado aos resíduos sólidos (da construção civil, volumosos e verdes) além de contribuir com a coleta de recicláveis.

Estes tem um papel fundamental, pois se apresentam como uma ferramenta de acondicionamento de resíduos que hoje representam grandes problemas para a limpeza pública. 
Em Penápolis existem cinco ecopontos espalhados pelo perímetro urbano, todos com espaço suficiente para armazenamento dos resíduos sólidos. 

Os resíduos verdes, quando gerados pelos munícipes são acondicionados em frente às residências e logo coletados por carroceiros contratados pelo gerador ou enviados diretamente para os ecopontos. Estes serão caracterizados em item especifico deste trabalho. 
As imagens a seguir monstram os resíduos verdes sendo depositado em um dos ecopontos.

 

O DAEP recolhe os resíduos verdes dispostos nos ecopontos e encaminha para o aterro de inertes.  Existem profissionais no município que realizam poda e jardinagem, sendo que os resíduos verdes oriundos de tais atividades são encaminhados pelos próprios aos ecopontos, quando em volumes pequenos e ao aterro de inertes, quando em volumes maiores. 

A parte dos resíduos verdes que segue para o pátio de compostagem é triturado por equipamento especifico para posterior montagem das leiras, passando por processo de compostagem para posterior utilização nas hortas comunitárias do município. As imagens a seguir demonstram os resíduos verdes no aterro de inertes e pátio de compostagem.


Os resíduos da construção civil são acondicionados no passeio até o recolhimento por carroceiros contratados pelos munícipes para levarem o entulho até os ecopontos. A imagem a seguir demonstra um carroceiro dispondo resíduos da construção civil em um dos ecopontos.


 

As localizações dos Ecopontos são:

ECOPONTO – BAIRRO DEL REY
Av. Avelino Bilche Filho, 1190.

ECOPONTO – JARDIM TINO                                            
Av.Elpídio Ribeiro, 400.

ECOPONTO – COLINA VERDE

Av. Matias Martins Garcia, 739.

ECOPONTO – PARQUE INDUSTRIAL
Av. Francisco Colnaghi, 850.

ECOPONTO – CIDADE JARDIM
Av. Maria Rosa Passafaro Altimari, 1050.